Os 1,9 milhão de agricultores e trabalhadores certificados Fairtrade em todo o mundo tiveram lucros maiores em 2021

13/10/2022

BONN, Alemanha Agricultores e trabalhadores viram um aumento nos ganhos do Fairtrade Premium graças a uma recuperação nas vendas de produtos Fairtrade ao longo de 2021, à medida que a atividade comercial global se recuperou da desaceleração da pandemia de COVID-19, revelou o último relatório anual da Fairtrade International.

De acordo com o relatório, divulgado hoje e intitulado Construindo resiliência em um mundo em mudança, os produtores certificados Fairtrade registraram um aumento de quatro por cento nos ganhos do Fairtrade Premium em relação aos níveis de 2020 para os sete principais produtos certificados Fairtrade, atingindo € 190 milhões. Os dados de vendas de 2021 foram animadores, principalmente para alguns produtos. Os produtores de cacau e flores tiveram os maiores ganhos, com volumes de vendas crescendo 37% e 21%, respectivamente. As vendas de flores cortadas e plantas jovens com certificação Fairtrade ultrapassaram um bilhão de itens anualmente pela primeira vez em 2021.

Os benefícios financeiros do Fairtrade incluem os Preços Mínimos Fairtrade, que atuam como uma rede de segurança quando os preços de mercado caem, e o Prêmio Fairtrade, que é um valor adicional ao preço de venda que as organizações de produtores recebem pela venda de seus produtos e decidir democraticamente como gastar. Em 2021, os cafeicultores ganharam mais de € 82 milhões no Fairtrade Premium, enquanto os produtores de cacau e banana ganharam mais de € 49 milhões e € 34 milhões, respectivamente. O Fairtrade Premium forneceu mais de € 1,5 bilhão para agricultores e trabalhadores certificados Fairtrade na última década para investir em seus negócios e comunidades.

“Na Fairtrade, nosso trabalho está totalmente focado em construir condições equitativas para quase 2 milhões de agricultores e trabalhadores rurais em todo o mundo, para que eles também possam ter acesso igual aos mercados globais.” explicou Sandra Uwera, CEO global da Fairtrade International.

“O relatório anual deste ano é uma confirmação da força dos agricultores e trabalhadores que enfrentaram desafios como a pandemia do COVID-19, com o apoio do Fairtrade”.

O relatório anual da Fairtrade também reflete a resiliência contínua de agricultores e trabalhadores à medida que a inflação crescente, os custos mais altos da agricultura e transporte e os efeitos das mudanças climáticas afetam seus meios de subsistência. Apesar dos desafios logísticos e dos custos de produção crescentes, os produtores de café, banana e cana-de-açúcar Fairtrade viram as vendas permanecerem estáveis em 2021. Os sucessos comerciais para os agricultores certificados Fairtrade também foram evidentes em 2021, de acordo com o relatório. Mais de 2.500 empresas usaram a marca Fairtrade em mais de 37.000 produtos vendidos em todo o mundo, enquanto os produtos certificados Fairtrade permaneceram acessíveis aos consumidores em 143 países.

Nesse contexto, o relatório também se concentra na contribuição do Fairtrade para meios de subsistência decentes e sustentáveis, destacando o progresso nos programas de referência de preços e renda de vida, bem como a adoção de práticas agrícolas resilientes ao clima por mais de 500 organizações de produtores. Os créditos de carbono Fairtrade também atingiram um marco no biênio 2021-2022, com mais de 650.000 toneladas de compensações de carbono geradas por meio de projetos Fairtrade em Burkina Faso, Índia, Lesoto, Uganda, Etiópia e Peru.

Na mesma linha, o relatório também destaca o papel crítico que as associações lideradas por Fairtrade desempenham em capacitar produtores e torná-los mais lucrativos. As parcerias de financiamento com governos e empresas fornecem os recursos necessários para responder a necessidades urgentes, defender a justiça comercial e testar e dimensionar inovações com agricultores e trabalhadores. Em um caso particular, a Fairtrade, juntamente com parceiros governamentais e corporativos, arrecadou mais de € 15 milhões em fundos de alívio e resiliência para enfrentar a crise causada pelo COVID-19, que foram usados em 2020 e 2021 por 667 organizações de produtores para beneficiar mais de 800.000 agricultores e trabalhadores.

“A urgência de acelerar nosso trabalho é enorme e o escopo é ambicioso. Como sempre, reconhecemos os muitos agricultores, trabalhadores, empresas e consumidores que estão fazendo sua parte todos os dias para tornar o mundo um lugar mais justo." disse Melissa Duncan, Diretora Executiva da Fairtrade International. “Nosso relatório anual nos ajuda a relançar nossa mensagem para que todos – empresas, governos, consumidores e agricultores – façam sua parte, tomando decisões que construam resiliência, garantam a sustentabilidade e cuidem do planeta para as gerações futuras.”

# # #

Para mais informações, contacte-nos em press@fairtrade.es press@fairtrade.net.

Sobre Fairtrade Internacional

O Fairtrade muda a forma como o comércio funciona por meio de melhores preços, condições de trabalho decentes e tratamento mais justo para agricultores e trabalhadores nos países em desenvolvimento.

A Fairtrade International é uma organização independente sem fins lucrativos que representa 1,9 milhão de pequenos agricultores e trabalhadores em todo o mundo. Possui a marca FAIRTRADE, marca registrada que aparece em mais de 37.000 produtos. Além da certificação, a Fairtrade International e suas organizações membros capacitam produtores, fazem parcerias com empresas, envolvem consumidores e defendem um futuro justo e sustentável. Mais informações em Fairtrade.es ou Fairtrade.net

Compartilhar

recomendado

Contato
Siga-nos
linkedin Facebook pinterest YouTube rss Twitter Instagram facebook em branco rss-em branco linkedin-blank pinterest YouTube Twitter Instagram